• Pullips
    http://i25.photobucket.com/albums/c98/nanadorough/teste000001_zps3f1d850a.png
    Clique e conheça mais sobre estas encantadoras dolls! Leia Mais...
  • Rainbow Cupcake
    http://i25.photobucket.com/albums/c98/nanadorough/teste000002copy_zps036529c7.png
    Aprenda aqui como fazer a lendária receita de cupcake arco-íris! Leia Mais...
  • Backstreet Boys
    http://i25.photobucket.com/albums/c98/nanadorough/teste000005_zpsb518dd09.png
    Leia neste post como esta incrível banda faz parte da minha vida há mais de uma década e a minha saga para conhecê-los! Leia Mais...
  • Britney em imagens raras
    http://i25.photobucket.com/albums/c98/nanadorough/teste000004_zps8cfbd2dd.png
    Veja aqui imagens raras de Britney Spears em sua trajetória pessoal e profissional. Leia Mais...
  • Salvador
    http://i25.photobucket.com/albums/c98/nanadorough/teste000006_zpscada8fdb.png
    Veja aqui imagens desta terra encantadora e cheia de luz! Leia Mais...

26 outubro 2012

A vida e suas escolhas...

Oi, pessoal!

Fui fazer um levantamento dos links das postagens e vi que o bocó do blogger deletou este post...

Por gostar muito dele, resolvi relançá-lo aqui!


Vamos falar de vida?

O fato é que vive-se.

Por anos... Vive-se.

Bem, mal, com ou sem qualidade, mas vive-se.

Porém, chega um momento em nossas vidas que somos obrigados a fazer escolhas. 

Somos obrigados a ponderar o que vale mais para nós e nos vemos em uma estrada onde só há dois caminhos: seguir em frente ou voltar pra trás.

Apesar da metáfora, na realidade, a travessia, não é tão fácil assim.

É complicado ter que escolher entre coisas que você sempre julgou importantes e pensou que nunca iria abrir mão.

Parece que a rotina coloca nossas vidas no formato de um roteiro que acostumamos a seguir, sem questionar.

Entretanto, este roteiro às vezes, fica aberto e temos que sair de nossa zona de conforto para editá-lo ou mesmo reescrevê-lo...

E é nessa hora que surge a necessidade da escolha.

Sempre lutamos tanto contra a imposição de normas e regras e pela liberdade de escolher como agiremos em nossas vidas, mas quando a oportunidade de optar por algo chega, torna-se um processo doloroso.

Afinal, por mais que não se queira, é assim que a rotina nos coloca: para sermos conformados a ela.

Quando se pensa em cotidiano, os sonhos de "mudar de vida" ou pelo menos "mudar algo" sempre surgem. O pensamento cria asas, quando a vida está aprisionada.

Porém, quando o fadado dia-a-dia nos dá a brecha de sermos os diretores do filme de nossa vida, parece que nos paralisamos, ficamos sem saber o que fazer.

Chegamos até a, muitas vezes, acusar a vida de nos deixar sem respostas e "perdidos"...

Mas não somos nós mesmos que pedimos constantemente oportunidades de mudança de vida?

Não é paradoxal pensar que passamos a vida inteira buscando novos rumos para nossa caminhada, mas jamais estamos preparados para tomarmos as rédeas de nossa história, quando nos é dada a oportunidade?

Ficamos tão acostumados ao dia-a-dia com suas alegrias e dores que, dar um passo contrário a tudo isso é desafiador.

Quando na verdade, deveria ser natural.

E é natural.

Afinal, é a nossa vida que está em questão.

Não deveria nos parecer um crime tentar mudar o nosso próprio destino.

Porém, agir contrariamente a atitude conformada e dócil das pessoas que nos cercam traz a nós a reprovação, o constrangimento, a marca de uma falsa rebeldia.

E digo falsa, pois amadurecer não é subverter.

Tentar ver a vida por um outro olhar  e escolher qual caminho seguir é mostrar que se percebeu com cada lição que a vida deu, que é  possível mudar.

Que é possível rir mais, sofrer menos e experimentar o novo.

Essa semana mal começou e já tive que fazer isso duas vezes!

E foi difícil.

Dá um aperto no peito, um medo de o arrependimento bater, mas não. 

O que parecia ser óbvio e indispensável, passa a ser natural e torna-se um alívio para a alma...

Uma libertação.

E é isso que eu desejo a todos vocês hoje: libertem-se!

Deixem seus medos para trás e vivam o que a vida tem de melhor a nos oferecer, sem medo ou culpa!

Com carinho,

Naná.

2 comentários:

Dudu disse...

Só uma coisa que não tive escolha, e se tivesse teria escolhido também: você!

Te amo para sempre!

Mudar dá medo, parece fugir do controle, mas a mudança também é natural, é até biológico. Acho que se déssemos mais ouvidos e víssemos mais o que a Natureza nos mostra, retornaríamos ao que é nosso, o percurso natural da vida.

Mas aí lembramos que temos mais do que a Natureza, temos a inteligência, a razão, para quando o coração fala, para podermos moderar, mas nunca silenciar o que ele diz. Pulsar a vida, como o coração, e percorrer adiante, como o pensamento. Assim, nos equilibrarmos no balanço incessante que a própria vida faz e insiste tanto em nos mover.

Lalah Melo disse...

Ai, mana, eu sempre sofro mto com mudanças, acho que ainda não me adaptei a necessidade constante delas, tenho medo das consequencias no futuro e as vezes prefiro não me arriscar.
Mas é algo que estou superando aos pouquinhos e tem me feito bem melhor!

Bjos!

Real Time Web Analytics